Como fazer um seguro de vida?

Posted by on março 23, 2016 in Artigos, Seguros | Comentários desativados em Como fazer um seguro de vida?

Como fazer um seguro de vida?

O seguro de vida é um contrato que você faz com a seguradora com o objetivo de garantir a proteção financeira de sua família ou de pessoas dependentes, nos casos de morte por acidente ou morte natural.

Além disso, o seguro de vida também pode beneficiar você mesmo, diretamente, em casos de invalidez permanente, invalidez temporária ou doença grave, por exemplo.

Nesse tipo de contrato, o seguro obrigatoriamente possui a cobertura para o risco de morte, natural ou acidental, que será pago de uma só vez para sua família no caso de sua perda, ou, quando se tratar de uma cobertura para invalidez permanente ou temporária, podendo ser pago de uma só vez ou em forma de renda, garantindo o seu período de convalescência.

A cobertura principal do seguro de vida, que é também obrigatória contra o risco de morte, poderá dar garantias complementares quando você faz o contrato com a seguradora. São diversas as modalidades que você pode encontrar no seguro de vida, como morte, invalidez por acidente, invalidez funcional (permanente por doença), invalidez temporária, doenças graves, diárias para internação hospitalar ou por incapacidade temporária, seguro contra períodos de desemprego ou por outro motivo de perda de renda, e outros.

Você também pode combinar as coberturas que possam lhe trazer benefícios específicos, como um seguro viagem, um seguro prestamista ou um seguro educacional, por exemplo.

Benefícios que um seguro de vida pode proporcionar

O seguro de vida é essencial no momento em que ocorre a perda do preceptor da família, o responsável pelo sustento, fazendo com que o padrão de vida da família venha a despencar.

As dificuldades financeiras também podem ocorrer no caso de uma invalidez permanente, temporária ou no caso de uma doença grave que impeça o profissional de exercer suas atividades profissionais.

Nesses casos, o seguro de vida traz a proteção financeira para a família, quando feito na modalidade de seguro de pessoas, que geralmente está incluído no seguro de vida. Assim, o seguro de vida torna-se um instrumento de proteção social, contribuindo para reduzir os problemas financeiros em situações desfavoráveis, garantindo tanto ao segurado quanto aos beneficiários poder enfrentar os problemas financeiros durante um determinado período.

Fazendo o seguro de vida, você pode escolher um ou mais beneficiários, definindo o valor do capital segurado, ou seja, a quantia que será paga pela seguradora no caso de algum sinistro previsto em contrato.

O seguro de vida não é importante apenas para quem tem patrimônio e um padrão de vida mais alto, podendo ser feito também por famílias de diferentes camadas sociais, principalmente aquelas que possuem pouco patrimônio e pouca reserva financeira.

Para famílias de menor renda, a morte do provedor ou sua invalidez afetam mais significativamente a situação financeira de todos os dependentes, e o seguro de vida vem para auxiliar na manutenção do que seja necessário para a sobrevivência, garantindo a continuidade dos estudos, o sustento da casa e outras despesas por um tempo determinado.

Uma grande vantagem do seguro de vida é que a cobertura paga pela seguradora não entra no inventário, sendo liberada sem qualquer taxação.

Diferenças entre seguro de pessoas e seguro de vida

O seguro de pessoas pode ter diversas coberturas, que podem ser contratadas em conjunto ou em separado, incluindo a morte, natural ou acidental, a invalidez, permanente ou temporária, as despesas médicas e hospitalares, diárias por internação e muitas outras.

No conjunto de coberturas do seguro de pessoas está também o risco de morte, tratando-se, assim, de um seguro de vida condicionado à cobertura em casos de morte, seja por causas naturais ou acidentais.

Existe uma diferença de valores de custo para um seguro de vida ou seguro de acidentes pessoais, sendo este muito mais barato. A cobertura por morte por acidente pode ser feita de forma isolada ou complementar à morte por causa natural, sendo preciso distinguir uma da outra. No caso de indenização por morte natural ou acidental, a cobertura é feita sem qualquer problema, enquanto que no caso de cobertura por morte por acidente, ela só é valida quando houver uma morte por acidente.

Tudo isso faz com que os seguros de vida tenham preços diferenciados. Os preços são cobrados de acordo com o risco para a seguradora. Assim, a morte por acidente tende a ter um custo maior do que por morte natural. Os preços também podem variar com relação ao cálculo do prêmio, ou seja, o preço de seguro.

No caso de seguro de vida, o cálculo é feito de acordo com a idade do segurado no momento de sua contratação, enquanto que o seguro por acidentes não faz distinção pela idade do segurado. O seguro de vida tem um custo progressivo à medida que aumenta a idade do segurado, já que isso aumenta a possibilidade de morte por causas naturais.

Para fazer um seguro de vida, portanto, o segurado deve estar sempre atendo às cláusulas do contrato, prevendo todas as possibilidades de acordo com seu estilo de vida e com sua própria saúde. Além disso, também é necessário buscar entre diversas seguradoras, verificando os valores do prêmio do seguro e suas coberturas.